De Mesquita a Curitiba: os mil dias que separam o rebaixamento de uma final de Copa do Brasil

Do inferno ao paraíso, o Inter se reergueu após pior momento de sua história

Foto: Reprodução/SporTV
Paolo Guerrero
Nico Lopez
0

O Colorado foi rebaixado em 2016, um fato inédito em sua história. Na ocasião, o empate com o Fluminense em Mesquita, no Rio de Janeiro, decretou o rebaixamento do Internacional. Hoje, quase três anos depois, o time irá decidir a final da Copa do Brasil em Curitiba.

Desde o rebaixamento, muitas coisas mudaram no Internacional. Em um primeiro momento, Marcelo Medeiros foi eleito presidente. Com ele, vieram outros nomes importantes como Roberto Melo e, posteriormente, Rodrigo Caetano.

Lisca não permaneceu no cargo colorado. Para seu lugar, Antônio Carlos Zago foi o escolhido. Atletas foram agregados ao Inter no início do ano: Víctor Cuesta e Uendel, por exemplo. Também houve a volta de D’Alessandro, que estava emprestado ao River Plate.

Depois dos estaduais, ainda teve o acréscimo de Edenilson e William Pottker. Foi quando Zago caiu e Guto Ferreira assumiu. Depois, na metade do ano, Leandro Damião e Camilo também assinaram com o Inter.

Desagradando pelo estilo pragmático e sem perspectiva de futuro no clube, Ferreira saiu do comando colorado. Ao seu lugar, o interino Odair Hellmann assumiu e classificou o Colorado à Série A. Após as três rodadas finais da Série B, Papito assumiu em definitivo, no cargo que ocupa até hoje.

Em 2018, a manutenção da base do grupo, com os acréscimos de jogadores como Zeca, Moledo e Patrick, além da manutenção de nomes chaves do time, levaram o Colorado a um grande ano.

Mesmo com a eliminação no Campeonato Gaúcho e na Copa do Brasil, a direção apostou em Odair Hellmann, que levou o Colorado ao terceiro lugar no Campeonato Brasileiro, classificando o time para a Libertadores. No meio de 2018 assinou com o Inter Paolo Guerrero, outra peça chave da campanha de 2019.

No ano atual, o Colorado chegou à final do Gauchão, perdendo o título para o Grêmio nos pênaltis. Se classificou em primeiro lugar em seu grupo na Libertadores, onde foi até as quartas de final. No Brasileirão, alternando entre reservas e titulares, o Inter ocupa uma das posições do G-6.

O grande trunfo do ano é a Copa do Brasil. Eliminando Paysandu nas oitavas de final, batalhando contra tudo e todos nas quartas (contra o Palmeiras) e goleando o Cruzeiro na semifinal, o Colorado chegou à final. Nesta noite, decide a taça contra o Athletico Paranaense, na Arena da Baixada.

São passados 1004 dias desde o empate em Mesquita. Hoje, o Colorado é um dos times mais vitoriosos do Brasil em 2019 e está disputando uma das taças mais cobiçadas entre os clubes brasileiros. Às 21h30, Odair Hellmann e seus jogadores começarão a decidir, na Arena da Baixada, a final da Copa do Brasil.

Comentários
Carregando comentários...

Este site usa Cookies para aperfeiçoar a experiência dos leitores. Aceita continuar? Aceito Ler: Política de privacidade e cookies