Últimas Notícias

Leonardo Silva: Alisson Becker, do Celeiro de Ases ao topo do mundo

A história começa diretamente das mãos de seu pai e seu tio Paulo na cidade de Novo Hamburgo, a menos de 50 quilômetros da capital gaúcha. Seu pai tinha a função de confeccionar moldes de calçados e seu tio concebia as chuteiras, que por muitos anos foram utilizadas pelos irmãos Alisson e Muriel Becker. Essa rara família não só é nobre por ter um talento nas mãos na hora de confeccionar chuteiras. Mas sim por formar jogadores de futebol, mais diretamente, goleiros.

A família Becker é tradicional por não ir ao ataque, apenas se defende. Seu bisavô na década de 40 era goleiro do time da cidade, a mãe foi goleira no time de handebol e o pai peladeiro nato no final de semana. Alisson Ramses Becker, aos 8 anos de idade, deu início a sua brilhante jornada. E foi na base do Internacional que o goleiro se destacou pelas suas brilhantes atuações e defesas. Seguindo os passos do irmão mais velho Muriel, Alisson demonstrou que traçaria o mesmo caminho que ele.

Após subir para o profissional no ano de 2013, Alisson seguiu na reserva de seu irmão. No ano seguinte, teve a grande responsabilidade de assumir o posto de titular que foi deixado pelo grande goleiro Dida. Iniciando no time a partir da 28ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2014, partida em que a equipe colorada enfrentou o Fluminense. No ano seguinte, o novo goleiro colorado se destacou por defesas milagrosas, especialmente na campanha da Libertadores de 2015, onde a equipe colorada teve a segunda melhor campanha geral. Mas, infelizmente, a equipe foi eliminada na semifinal pelo grupo do Tigres do México, jogo que inclusive resultou em um pênalti defendido pelo goleiro.

Pelo Inter, Alisson não conquistou muitos títulos, foram apenas quatro campeonatos gaúcho. Em meio, a conquista do hexacampeonato da equipe no ano de 2016, um momento ficou marcado na história do goleiro. E não foi só pela oportunidade de erguer a taça como capitão. Após a partida, o goleiro retornou ao gramado e ali passou minutos, numa espécie de despedida e gratidão pela formação que teve no clube.

Partindo do Internacional, o jogador tomou rumo ao futebol italiano e chegou em Roma, onde Paulo Roberto Falcão brilhou na década de 80. Foi no ano de 2016 que o clube confirmou a contratação do goleiro gaúcho, que de início não chegou como titular e foi bastante questionado devido o preço que foi desembolsado para contar com o jogador na época. No entanto, não precisou de muito tempo para Alisson conquistar a torcida e seu espaço como titular. Já consolidado como um dos pilares do time romano pelo seu desempenho, Alisson e seus companheiros levaram a Roma novamente a disputa de uma semifinal de Liga dos Campeões após mais de 30 anos.

Apesar da pouca idade do goleiro na época, o tamanho da confiança em Alisson era muito grande. Tamanha a sua habilidade, concentração e devido suas belas atuações, fizeram com que o nome do jogador fosse indicado como possível reforço de grandes clubes da Europa. E, dias após o término da Copa do Mundo de 2018, Alisson desembarcou na Inglaterra para realizar exames e assinar com a equipe do Liverpool. No dia seguinte, o Diretor Esportivo da equipe do Roma confirmou a ida do goleiro para outro clube.

Em 12 de agosto de 2018, estreou pela equipe inglesa contra o West Ham, partida válida pela primeira rodada da Premier League. Assim como no antigo clube, no novo não foi diferente, Alisson conquistou a torcida e seus novos companheiros pelo seu magnífico trabalho. A temporada 2018/2019 para ele foi inesquecível. Defendendo o Liverpool, o atleta conquistou a Liga dos Campeões e o vice-campeonato Inglês. Já pela seleção brasileira, venceu a Copa América 2019 sofrendo apenas um gol em toda competição. Fora de campo, Alisson levou mais títulos ainda, incluindo os mais importantes como “Melhor Goleiro” eleito pela Bola de Ouro e também pela FIFA.

Alisson conquistou mais um título pela equipe na temporada 2019/20. Foi com um tropeço do Manchester City que o time de Klopp não pode ser mais alcançado e garantiu o título da temporada, com sete rodadas de antecedência. O time não era campeão inglês desde 1989/90, este foi o primeiro título de Alisson e dos Reds pela Premier League, que existe desde a temporada 1992/93. E também foi o terceiro título do ex-colorado no atual clube vermelho, além de ter conquistado os títulos da Liga dos Campeões e o Mundial de Clubes.

Pela seleção brasileira, sua passagem como goleiro iniciou na base. Alisson conquistou a Copa Sendai e o Torneio Internacional de Toulon, sendo titular absoluto. No ano de 2015, sua primeira convocação como principal e sua estreia aconteceu diante da seleção Venezuelana, a partida era válida pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018. Foi também como goleiro da seleção que Alisson teve a oportunidade de trabalhar com seu ídolo da infância, Cláudio Taffarel.

O excelente desempenho de Alisson ainda pela Roma nas competições locais juntamente com a Liga dos Campeões e as constantes convocações, fizeram com que o goleiro, vindo do Bairro Canudos, fosse o titular na Copa do Mundo. Na época, Alisson era cobiçado pelo Liverpool (equipe atual) e também pelo Real Madrid. O Brasil acabou eliminado nas quartas de final após a derrota pela Bélgica pelo placar de 2×1.

- Quer ficar informado sobre tudo o que acontece com o Internacional e seus adversários? Clique aqui, baixe o aplicativo da Revista Colorada e obtenha todas as informações na palma de sua mão!
Etiquetas

Leonardo Silva

"Leonardo, 21 anos sou acadêmico de Administração mas nas horas vagas acho que sou jornalista do Internacional, apaixonado por uma coquinha gelada"

Artigos relacionados

Loading...
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor leitor colorado, desativar seu Adblock. Nosso site não possui propagandas com vírus, temos um ambiente seguro.