“O Inter não terá um rival fácil”, diz técnico uruguaio, sobre o confronto contra o Nacional

Na última segunda-feira, em sorteio realizado na sede da Conmebol, ficou definido que o Nacional, do Uruguai, será o adversário do Inter nas oitavas de final da Libertadores

Foto: Divulgação
0

Na última segunda-feira, em sorteio realizado na sede da Conmebol, ficou definido que o Nacional, do Uruguai, será o adversário do Inter nas oitavas de final da Libertadores.

Ex-Inter, o técnico uruguaio Jorge Fossati deu a sua opinião quanto ao confronto envolvendo as duas equipes, em entrevista para o portal GaúchaZH. O treinador comandou o Inter até às quartas de final da Libertadores de 2010.

“Acho que o Inter não teve muita sorte. O time está muito bem, fazendo uma primeira fase de Libertadores excelente. Em termos de resultados até pode não ter conseguido os melhores no Brasileirão, mas acho que tem um time consolidado, que está fazendo um bom futebol, agora com o Guerrero vai ganhar em termos de ofensividade. Acho que o Nacional tem um rival muito forte pela frente”, analisou.

Para Jorge Fossati, o Nacional pode surpreender o Inter nesta fase da Libertadores. Em 2016, por exemplo, eliminou o Corinthians da competição, contando com Nico López no seu elenco.

“Também acho que o Inter não terá um rival fácil. Álvaro Gutierréz consolidou o time do Nacional, se preocupou em jogar mais de forma defensiva, um time mais sólido. Em termos ofensivos, tem qualidade também. Acaba de jogar o clássico aqui, contra o Peñarol, pela primeira vez no novo estádio do Peñarol, para mim fez um jogo bom, importante, e se não fosse a expulsão do centroavante argentino, que deixou o time com 10 no segundo tempo, o Peñarol conseguiria empatar”, completou o técnico.

Mesmo sendo uruguaio, Fossati irá torcer pelo Inter nas oitavas de final. Isso por ter trabalhado no clube gaúcho em 2010, quando levou a equipe até às quartas de final da competição, sendo substituído por Celso Roth logo após eliminar o Estudiantes, da Argentina.

“Logicamente, o Nacional é um time do meu país, mas no meu caso, não é o time que eu tenha trabalhado, defendido. Tenho identificação com o Peñarol, mas no caso, desde 2010, quando tive a oportunidade de trabalhar no Inter, tenho os melhores desejos para o Inter. Qualquer um dos dois que ganhar (está bom), mas se for o Inter, um pouquinho melhor”, finalizou Fossati.

Comentários
Carregando comentários...

Este site usa Cookies para aperfeiçoar a experiência dos leitores. Aceita continuar? Aceito Ler: Política de privacidade e cookies