Herick Alves: O Inter me surpreendeu

0

Quando foram sorteados os grupos da Libertadores, lá em dezembro, eu fiquei bastante apreensivo e achando que o Inter ia se complicar, pois além do River Plate, tinha a possibilidade do São Paulo acabar no nosso grupo. Mas isso não aconteceu. River era o time mais badalado, atual campeão e muito bem treinado por Marcelo Gallardo, um dos melhores da América. Era o time a ser batido. O São Paulo vinha de grandes investimentos e contratações, como Pablo e Tiago Volpi. E o Inter sem grandes contratações e sem dinheiro para investir. Teríamos que ser criativos nas contratações, torcer para dar certo e contar com um retorno de Paolo Guerrero em alto nível. Não tinha como não temer. Agora, passada as seis rodadas da fase de grupos, com o Inter já classificado para a próxima fase, vou analisar cada um dos nossos jogos até aqui.

PALESTINO 0x1 INTER – Na primeira rodada da fase de grupos, o colorado foi até o Chile para enfrentar o Palestino. Vencemos com um gol de falta do Rafael Sobis, que contou com uma pequena ajuda do goleiro do time chileno, aos 35 do segundo tempo. No primeiro tempo, o Palestino levou perigo, obrigando Marcelo Lomba a fazer uma sequência de boas defesas para evitar o gol deles. O Inter, com Pedro Lucas no ataque, teve poucas chances de gol. Apenas uma cabeçada do próprio Pedro. Edenilson foi o destaque. No segundo tempo voltamos melhor e fazendo pressão, mas mesmo assim parecia que o gol não ia vir. Até que Rafael Sobis tinha uma falta na lateral da área para bater. Bateu rasteiro, o goleiro se atrapalhou e a bola morreu no fundo do gol. Após o gol, o Inter ainda perdeu uma ótima chance com D’Alessandro. Vencemos no sufoco, mas não convencemos.

INTER 2×0 ALIANZA LIMA – Na segunda rodada estreamos no Beira-Rio, após 4 anos, a Libertadores se reencontrava com a casa colorada. O Inter não teve nenhuma dificuldade frente aos peruanos, vencendo por 2 a 0. Nico López foi o nome do jogo, marcando os dois gols colorados, um deles logo no início do jogo. O camisa 7 decidiu o jogo em dois potentes chutes com a perna esquerda. O Alianza só levou perigo uma única vez ao gol colorado, que obrigou Marcelo Lomba a fazer uma boa defesa. Vencemos com tranquilidade, mostramos nossa força dentro de casa e somamos 6 pontos.

INTER 2×2 RIVER PLATE – No jogo entre os dois times mais fortes do grupo, deu empate. O Inter começou de forma intensa e fazendo pressão, tanto é que em 30 minutos já estava 2×0 em cima do atual campeão da competição. Até que a bola bate na mão de Edenilson, o juiz marca pênalti e Lucas Pratto diminui no fim do primeiro tempo. No segundo tempo, Marcelo Gallardo conseguiu corrigir os erros do River, colocando os jogadores certos em campo. Entre eles, De La Cruz, que empatou o jogo numa cobrança de falta. O Inter deixou a vitória escapar por ter recuado após estar em vantagem, o que não pode acontecer. O Inter precisa saber administrar a vantagem sem recuar. O empate teve um gosto amargo.

INTER 3×2 PALESTINO – Na estreia de Paolo Guerrero na Libertadores, com o Beira-Rio lotado, o Inter novamente começou num ritmo intenso e aos 30 minutos já havia feito 2 a 0 nos chilenos. Patrick fez o primeiro com passe de Nico Lopez e Guerrero fez o segundo, também com passe do camisa 7. No fim do primeiro tempo, num bate-rebate na área, o Palestino diminuiu. O Inter voltou desligado no segundo tempo e logo no início levou o empate, como contra o River Plate. Levamos o empate por recuar após abrir vantagem e deixar o adversário gostar do jogo. Depois de muita pressão, Paolo Guerrero recebeu cruzamento de Nico Lopez e fez o terceiro do Inter. Quase no fim, com muita pressão, o Inter conseguiu a vitória. Podia ter sido muito mais fácil, se o Inter tivesse mantido a intensidade e administrado a vitória. Com o triunfo em casa, conquistamos a classificação para as oitavas de final.

ALIANZA LIMA 0x1 INTER – Em um jogo com muita festa por Paolo Guerrero, que estava indo jogar contra o seu time do coração, vencemos com um gol solitário. Guerrero, motivo de tanta festa, saiu no intervalo por conta de uma lesão, dando lugar a Rafael Sobis. O jogo já parecia caminhar para um empate, quando Sobis cobrou um escanteio, Rodrigo Moledo se antecipou ao zagueiro do clube peruano e abriu o placar, dando a vitória para o Inter. Graças ao zagueirão, garantimos o primeiro lugar do grupo. Líder e classificado no grupo do atual campeão da competição

RIVER PLATE 2×2 INTER – Assim como no Beira-Rio, na terceira rodada, empatamos em 2×2 com o River. Em um jogo com ambos times poupando jogadores por já estarem classificados, o Inter jogou bem no primeiro tempo e ditou o ritmo de jogo. O River Plate abriu o placar com Álvarez, de cobertura, em posição irregular. Aos 45, Sobis acertou um chutaço do meio da rua e empatou. O Inter manteve o ritmo e continuou em busca do segundo gol para ganhar. Nico cobrou falta na área e Moledo foi puxado, pênalti marcou o juiz. Sobis converteu a cobrança e fez o segundo dele no jogo. Mister Libertadores. O Inter ainda teve chances de fazer mais gols, continuou melhor no jogo e pressionando, mas foi o River que marcou. Já nos acréscimos, em uma infelicidade, Marcelo Lomba falhou ao espalmar errado a bola e Pratto aproveitou para empatar. No jogo dos invictos, um empate. Ficou um gosto amargo porque o Inter foi melhor durante o jogo todo. Jogou sem medo, pra cima, não diminuiu o ritmo. Mostrou o que faltou nos últimos jogos. Nonato jogou demais, cada vez evoluindo mais e se mostrando o craque que é. Foi um dos melhores jogos do Inter no ano, se não o melhor.

CONCLUSÃO: Temos time para ir atrás de algo grande nessa Libertadores. Somos favoritos ao título, junto com outros grandes clubes com um poder de investimento muito maior. Temos ótimas peças e um bom treinador. Ainda falta rapidez na saída de bola, corrigir algumas falhas dos laterais e não errar tantos gols, além de mais atenção nas bolas aéreas defensiva, para não tomarmos tantos gols assim. Mas estamos no caminho e tenho certeza que vamos longe. Eu nunca imaginaria uma campanha assim, sendo o único brasileiro invicto na competição. Dava pra tranquilamente ter saído com a melhor campanha da Libertadores, tínhamos time pra isso, assim como temos para ser campeão. Vamos em busca do nosso sonho, pois não é impossível. Não devemos ter medo de ninguém, devemos colocar medo. Nessa segunda fase, o apoio da torcida será fundamental, terminamos entre as melhores campanhas e temos a vantagem de decidir em casa as oitavas de final. Vamo pra cima deles!

O Inter me surpreendeu.

Comentários
Carregando comentários...

Este site usa Cookies para aperfeiçoar a experiência dos leitores. Aceita continuar? Aceito Ler: Política de privacidade e cookies