Gabriel Lemos: Por mais micos como Guerrero

O mico que o Inter pagou foi não ter trazido Paolo Guerrero antes

Foto: Ricardo Duarte / Inter
Paolo Guerrero
Nico Lopez
0

É claro que Pedro Ernesto estava opinando e, quando opinamos, corremos o risco de errar. Eu posso estar errando ao escrever essa coluna. Posso ser motivo de piada, caso o que eu escreva aqui se contradiga no futuro. É apenas uma brincadeira com o colega, que em sua carreira acertou muito mais do que errou.

Para os colorados que ainda não receberam o meme que se tornou o título da coluna de Pedro Ernesto, da Gaúcha ZH, trata-se do seguinte: “O Inter pagou um mico que ficará para a história”, escreveu o narrador, em agosto do ano passado. O texto ainda tem no bigode a seguinte frase “clube imaginou que contratar Guerrero seria o grande lance do ano”. Pedro poderia ter acertado na mosca, mas estou contente que não. Estou feliz de ver o peruano fazendo o que se esperava dele – talvez até mais.

Confesso que fiquei com algumas dúvidas quando ele foi sondado no ano passado. No contexto, o time vinha de uma arrancada e o vestiário estava harmônico. Sabia da necessidade de outro 9, na ausência de Damião. Na época, achei que a presença de um super jogador poderia atrapalhar um plantel, cuja força era o conjunto – me apropriando do hino do Barcelona, onde “todos unidos têm força“. Isso sem contar a punição que ele poderia cumprir – como ocorreu.

A longa punição do jogador acabou e logo no primeiro jogo, contra o Caxias, abriu o placar. Guerrero também marcou dois contra o Palestino, um contra o Cruzeiro, um contra o seu ex-clube, Flamengo e dois na noite de ontem. Marcou em todas as competições que o Inter jogou em 2019. São 7 gols em 10 jogos.

Ainda falando sobre essa quinta-feira (23), próximo ao meio-dia, o peruano publicou em seu Instagram alguns vídeos com Lomba, Edenilson, Nico López e Uendel, fazendo algumas brincadeiras. Um clima harmônico, como gostaria que se mantivesse. Guerrero não bagunçou vestiário coisa nenhuma, pelo contrário.

Já falei de gols, de vestiário e agora preciso comentar sobre o marketing que é Paolo Guerrero. Um herói nacional, Paolo chegou no Peru para jogar contra o Alianza Lima com uma multidão esperando no aeroporto. A Seleção Peruana, em suas redes sociais, exalta o time do Inter sempre que pode. Ontem, pela primeira vez na história, um jogo do Inter por campeonato nacional foi transmitido para o Peru. As manchetes dos jornais peruanos estampam Guerrero com a camisa do Inter toda a semana. É uma visibilidade incrível ao clube.

Paz no vestiário, resposta de qualidade dentro de campo e visibilidade no exterior. O mico que o Inter pagou foi não ter trazido Paolo Guerrero antes. Se bem que, o tempo é o senhor da razão e, convenhamos, estou contente que ele esteja jogando aqui, nesse momento de reafirmação colorada no cenário internacional.

Comentários
Carregando comentários...

Este site usa Cookies para aperfeiçoar a experiência dos leitores. Aceita continuar? Aceito Ler: Política de privacidade e cookies