Delegada revela detalhes dos próximos passos da investigação de injuria racial contra Edenilson

O volante do Inter acusa o lateral-direito Rafael Ramos, do Corinthians

Foto: Reprodução / TV

O caso envolvendo o possível ato de racismo contra o volante Edenilson terá novos capítulos nesta segunda-feira. Quem garante isso é a delegada Ana Luiza Caruso, responsável pela 2ª Delegacia de Polícia Civil de Porto Alegre.

Segundo ela, em entrevista à Rádio Gaúcha, será acionado o Instituto Geral de Perícias para que seja feita uma leitura labial avaliando as imagens do confronto entre Inter e Corinthians, que empataram em 2 a 2 no último sábado pelo Brasileirão.

“Já foram ouvidos tanto os envolvidos como o árbitro. Agora, vamos contar com a perícia para ver se consegue fazer a leitura labial para dar seguimento ao inquérito. Já vai ser instaurado a partir de amanhã (segunda-feira) e, em pouco tempo, teremos a finalização dele, remetendo para o Judiciário “, afirmou ela.

O jogador do Inter acusou o lateral-direito português de chamá-lo de macaco aos 31 minutos do segundo tempo. Já o atleta do Corinthians alegou ter falado outra palavra, que não foi compreendida pelo volante do Inter.

“A gente espera contar com a ajuda do IGP porque, embora pareça que realmente um jogador chama o outro de macaco, a defesa está alegando que foi um mal entendido. O Edenilson realmente não esboçou nenhuma reação momentânea, mas, segundo o depoimento do árbitro, ele o procurou para dizer que teria sido injuriado”, seguiu a Delegada.

Por conta do ocorrido, o jogador do Corinthians foi preso em flagrante pela Polícia Civil e teve que pagar fiança de 10 mil reais para poder deixar o estádio Colorado no último sábado.


Comentários
Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar Aceitar Ler mais