Chapa de José Aquino obteve liminar para que se audite a eleição do Inter

Divulgação / Independente

Nesta segunda-feira, o jornalista Leonardo Oliveira, do GZH, noticiou que José Aquino, em conjunto com alguns conselheiros e associados do clube, obteve liminar para que se investigue a lisura do processo eleitoral do Internacional ocorrido em 15 de dezembro de 2020. A Revista entrou em contato com o ex-candidato à presidência do clube, que explicou mais sobre a liminar, que foi deferida ainda no mês de outubro.

“No momento oportuno nós vamos nos pronunciar. No nosso entendimento as eleições do Clube tiveram um processo tumultuado, com uma série de dúvidas, inclusive ultimando por uma inédita cassação de chapa, de forma absolutamente anti-estatutária e ilegal. Em nome do Internacional, exigimos transparência e nos dirigimos ao Órgão competente, que se negou a prestar as mínimas informações que se faziam necessárias. Assim, como o Clube não tem dono e a verdade é o que nós queremos, recorremos ao direito. Pretendemos que não seja necessário questionar as eleições do Clube, mas, para tanto, precisamos de algumas respostas que estamos buscando. Até agora, o que podemos dizer é que as eleições do Clube não foram auditadas, como infelizmente foi passado para a comunidade colorada”.

No dia da eleição, muitos sócios se queixaram de problemas na hora de votar. O clube, inclusive, confirmou instabilidade no processo de votação e, por isso, a eleição foi estendida até às 21h. Um exemplo é que os Colorados e Coloradas que tentavam votar não recebiam o código via SMS no momento da autenticação dos associados. Ainda segundo apurado pela Revista, na hora de computar o voto para a chapa que está indo à justiça, o sistema apresentava erro.

 

 

Comentários
Loading...

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar Aceitar Ler mais